No novo episódio de Quiver Mágico, Edinho Leite analisa os modelos 3DV e 3DX, duas pranchas da DHD que foram desenvolvidas com alguns “truques” no shape para possibilitar alta performance até mesmo para surfistas recreacionais.  Entenda como alguns mudanças no outline e na distribuição de volume podem alterar a funcionalidade da prancha.

O 3DV é um modelo com pouco rocker, com a facilidade de gerar velocidade potencializada pelo concave. O v-bottom no fim da rabeta ajuda a trocar de borda com mais facilidade e o bump no outline é o segredo para estreitar a rabeta.

Tudo isso combinado com o dome deck, que possibilita manter o volume no meio da prancha mesmo afinando as bordas, transformam a prancha em “uma maquininha de manobras”, nas palavra de Edinho Leite.

Já a 3DX tem mais volume e ótima remada, aquela prancha para você pegar uma onda atrás da outra. A rabeta também tem mais área e volume do que a 3DV, dando flutuação e sustentação para que você continue surfando a onda mesmo que ela engorde, passando pelo flat e conectando sessões.